Volume
Rádio Offline
Para dormir bem: como escolher o melhor colchão e travesseiro
10/11/2020 10:33 em Atualidade

Materiais podem ser causadores de dores ortopédicas, caso sejam adquiridos erroneamente ou usados além do período indicado

Dormir nem sempre é uma tarefa simples e natural do ser humano. Demandas de trabalho, estudos e preocupações podem atrasar a chegada do sono e, inclusive, fazê-lo perder a qualidade necessária para o descanso efetivo do cérebro.

O que pouca gente sabe é que há fatores externos que, mesmo sendo parte do processo, danificam e prejudicam as horas que deveriam ser apenas de relaxamento. Por isso, escolher colchão e travesseiros é uma tarefa mais elaborada, já que ambos influenciam diretamente na boa rotina noturna.
Ao dormir oito horas por dia, uma pessoa passa quase três mil horas por ano na cama.

Dessa forma, ao longo dos anos, as posições inadequadas e os colchões e travesseiros que já não estão aptos para o uso podem causar lesões na coluna ou no pescoço. 

O ponto de atenção para escolher o travesseiro ou o colchão ideal é, sobretudo, com as especificações de cada material, mas também pode existir correlação com a forma preferida de dormir – de maneira geral, tempo de uso, que não deve ultrapassar os cinco anos, independentemente das promessas dos fabricantes.

Exigências do travesseiro

Para escolher um bom travesseiro, a regra do equilíbrio deve ser levada em conta.

O ideal é que ele não seja nem duro demais nem muito mole, ficando em um meio termo. Geralmente, pode-se escolher um material com recheio menos denso – de plumas ou espumas – ou os mais compactos, que evitam a instalação de ácaros e fungos e são mais duros.

No geral, este ponto fica em aberto, para que a pessoa decida o que é mais confortável.

O essencial é que o travesseiro mantenha uma altura adequada e que possibilite conforto à coluna, que deve ficar esticada quando a pessoa deitar de lado. “O ideal é buscar um travesseiro com densidade de 29 a 34 e com altura de, aproximadamente, 10 centímetros”, resume o ortopedista Robert Meves, chefe do Grupo de Coluna da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo.

O colchão ideal

Assim como o travesseiro, um colchão adequado vai de encontro com as necessidades de cada pessoa.

Para quem prefere um material mais duro, há os modelos em espuma, que são mais rígidos e demandam atenção quanto a isso.

Contraposto a isso, existem os com mola, ideais para as pessoas que gostam de materiais mais macios.
Antes de comprar um colchão, é imprescindível checar se o tamanho dele cabe na cama usada, assim como a densidade – elemento responsável pela distribuição do enchimento nos materiais de espuma em relação ao peso da pessoa na superfície – do modelo. Isso porque, caso o cálculo seja feito de forma errada, o item irá deformar com maior facilidade, sendo inutilizado antes do tempo.Buscar por elementos aprovados pelo Instituto Nacional de Estudos do Repouso (INER) pode ajudar também.

Por conta dos altos valores nas categorias com molas, por exemplo, é possível aproveitar descontos e promoções para comprar, como a
Black Friday. Colchões também podem ser testados antes da compra, para ver se o material causa algum tipo de incômodo, afunda com facilidade excessiva ou é muito duro.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!
PUBLICIDADE